DesportoEconomiaNazaréPolítica

Partidos

PS E PSD querem que presidente seja eleito na assembleia municipal Autárquicas podem mudar em Outubro A REVISÃO da lei eleitoral autárquica pode implicar grandes mudanças nas próximas eleições de Outubro. PS e PSD parecem estar de acordo que os executivos camarários possam vir a ser escolhidos pela lista mais votada para a assembleia municipal. A …

PS E PSD querem que presidente seja eleito na assembleia municipal

Autárquicas podem mudar em Outubro

A REVISÃO da lei eleitoral autárquica pode implicar grandes mudanças nas próximas eleições de Outubro. PS e PSD parecem estar de acordo que os executivos camarários possam vir a ser escolhidos pela lista mais votada para a assembleia municipal. A ideia é reforçar a governabilidade das 308 câmaras, permitindo à força vencedora ter garantias de poder aplicar o seu programa. Os dois partidos, porém, divergem num ponto. Enquanto que o PS aprova os executivos homogéneos. Ou seja, pretende que o número um da lista mais votada para a assembleia municipal escolha o elenco entre os membros da assembleia, o PSD aponta para uma sistema com ligeiras diferenças. Para o partido laranja, o vencedor deverá escolher o elenco, mas respeitando a proporção de votos na eleição com a garantia de ter sempre metade mais um dos vereadores. A ser verdade, nas  próximas eleições os eleitores vão apenas votar para a Assembleia Municipal e para a Junta de Freguesia. O presidente da câmara eleito é o primeiro da lista vencedora para a Assembleia Municipal, podendo depois escolher a sua equipa entre os membros deste órgão. PCP, PP e Bloco de Esquerda estão contra estas mudanças.

 Manuel António Sequeira

Notícia completa na edição impressa


Assinado financiamento para construção do edifício da Junta

Metade da obra comparticipada

FOI ASSINADO no dia 18 de Março, no edifício dos Paços de Concelho da Nazaré, o contrato de financiamento para a “obra de construção de equipamento colectivo cultural e recreativo da Junta de Freguesia da Nazaré”. Nos termos do contrato, o Ministério das Cidades, Administração Local, Habitação e Desenvolvimento Regional comparticipa nas obras de construção deste equipamento com o valor máximo de 49.630 euros, correspondendo a 50 por cento do valor comparticipável da obra.

Notícia completa na edição impressa

Author: Jornal

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close