AlcobaçaDesportoEconomiaNazaréOcorrênciasPolíticaSociedade

Segurança intermitente

Sinais luminosos não funcionam Sinalização semafórica ineficaz nas localidades de Vale Maceira e Alfeizerão Com os semáforosdesligados os peões vêem-se e desejam-se para atravessar vias de intensa circulação automóvel onde são poucos aqueles que respeitam os limites de velocidade Carlos Barroso Na Estrada Nacional 8, em Vale Maceira e na Estrada Nacional 242 que liga …


Sinais luminosos não funcionam

Sinalização semafórica ineficaz nas localidades de Vale Maceira e Alfeizerão

Com os semáforosdesligados os peões vêem-se e desejam-se para atravessar vias de intensa circulação automóvel onde são poucos aqueles que respeitam os limites de velocidade

Carlos Barroso

Na Estrada Nacional 8, em Vale Maceira e na Estrada Nacional 242 que liga Alfeizerão a São Martinho do Porto e ainda no troço entre esta localidade e Famalicão da Nazaré, os sinais luminosos estão inactivos, faz muito tempo. Os semáforos que fazem parte do reforço e da segurança dos peões aquando do atravessamento nas passadeiras nestas vias rodoviárias. Muitos deles não estão ligados, ou noutros casos, estão com luzes intermitentes, o que dificulta a travessia dos peões.

No caso de Alfeizerão, os sinais luminosos, colocados na rua 25 de Abril, junto à farmácia local, ainda não foram ligados apesar de já ali terem sido colocados no princípio do Verão 2003. Ao que o REGIÃO apurou este equipamento não funciona porque ainda não foi ligado à rede de energia eléctrica, mas por acção da energia solar, fazem parar o trânsito que se desloca de S. Martinho do Porto para Alfeizerão, já que ao final da tarde o Sol incide sobre o sinal vermelho, dando a ideia de que está a funcionar. Uma situação que já levou alguém a colocar um cartão sobre o semáforo vermelho para evitar que os enganos se sucedam.

Para complicar ainda mais a percepção desta história de vários anos de espera, no início deste Verão, depois da reparação dos sinais, fruto de vandalismo e de uma colisão de um veículo no equipamento luminoso, ainda assim os sinais continuam sem funcionar, porque uma das placas que controla a velocidade, está tapada pelo toldo de um café. Por último, os sinais verticais de indicação de passadeira de peões, estão a esconder parte do sinal luminoso, o que leva a que os condutores não o vejam.

Estas situações registadas em Alfeizerão – que seriam caricatas não fosse estar em jogo a segurança dos peões – tem prolongamento em Vale de Maceira com os habitantes locais a continuarem a (des)esperar que as luzes verdes e vermelhas se acendam pela primeira vez, já que as amarelas são as únicas a funcionar. Numa Assembleia de Freguesia, realizada há cerca de Julho passado em Vale Maceira, Carlos Sena memebro da Assembleia de Freguesia abordou a falta de segurança que se vive no troço da EN8 dentro da localidade, dado o frequente excesso de velocidade e os desvios propositados dos automobilistas que para contornarem as lombas circulando pelas bermas utilizadas pelos peões. “Já me referi a estas questões há quatro anos, mas nada foi feito”, disse na altura, o munícipe Manuel Marques, denunciando a falta de passadeiras na mesma via, enquanto o seu conterrâneo António Feijão reclamou da mesma falta junto da presidente da Junta, sublinhando que “veio aqui há dois anos a engenheira da Direcção de Estradas de Leiria que prometeu mandar colocar o semáforo de passadeira dentro de uma a duas semanas. Afinal, o semáforo acabou por ser colocado em Alfeizerão, mas nunca funcionou”.

Promessas renovadas

Contactada pelo REGIÃO, a presidente da Junta de Freguesia, Natividade Marques, reconheceu que “por incrível que pareça os semáforos em Vale de Maceira não estão a funcionar” revelando que “já foram feitos diversos contactos com os técnicos da autarquia que prometeram ir resolver o assunto”. No caso do equipamento em Alfeizerão “o caso é mais complicado” sustentou a autarca argumentando que será necessário “fazer uma alteração onde estão os sinais de pré-aviso”. Em ambos os casos Natividade Marques espera que sejam feitas as alterações o mais rápido possível porque “está em causa a segurança das pessoas”. Além desta solução, a presidente da Junta adiantou que uma das obras prioritárias para o próximo mandato será a construção de passeios na rua 25 de Abril, reconhecendo que “apesar de considerar uma obra necessária, será bastante difícil de implementar porque a estrada está mais alta que as soleiras das casas”. Ainda assim, Natividade Marques, frisa que “será necessária uma intervenção de fundo, não descurando a criação de alternativas para que possa iniciar-se essa obra”.

Não muito longe de Alfeizerão, em Famalicão da Nazaré, a sul da localidade e na ligação para S. Martinho do Porto, os sinais estão ligados, enquanto que no sentido inverso, após um acidente, o material semafórico que já não trabalhava, pura e simplesmente desapareceu. Além da ausência de sinais, faltam passadeiras ou simplesmente pintá-las para que sejam visíveis, quer para peões, quer para automobilistas.

Author: Jornal

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close