AlcobaçaEconomiaEducaçãoNazaréPolíticaRegionalSociedade

Decisão salomónica

Câmara da Nazaré chegou a propor a antiga Colónia Balnear para acolher a Escola de Turismo do Oeste Escola de Hotelaria do Oeste dividida por Caldas e Óbidos O Instituto de Formação Turística anunciou que a escola que chegou a ser disputada por Nazaré e Alcobaça, vai funcionar em Óbidos… e nas Caldas  António Paulo  …


Câmara da Nazaré chegou a propor a antiga Colónia Balnear para acolher a Escola de Turismo do Oeste

Escola de Hotelaria do Oeste dividida por Caldas e Óbidos

O Instituto de Formação Turística anunciou que a escola que chegou a ser disputada por Nazaré e Alcobaça, vai funcionar em Óbidos… e nas Caldas

 António Paulo 

Sofreu uma reviravolta a controversa decisão de localização da Escola de Hotelaria do Oeste em Óbidos, tomada já no período de gestão do executivo de Santana Lopes e da responsabilidade do ministro do Turismo, Telmo Correia. O presidente do Instituto de Formação Turística, Jorge Umbelino, anunciou em Santarém no passado dia 18 no decurso do “Dia do Oeste” integrado no “XXV Festival Nacional de Gastronomia”, que após reapreciação do processo, foi decidido que a Escola de Hotelaria do Oeste – um núcleo da Escola de Hotelaria de Lisboa que já possui estruturas de ensino semelhantes em Santarém e Setúbal – terá alguns cursos nas Caldas da Rainha e não só em Óbidos, como inicialmente anunciado. Nas Caldas será ministrada formação equivalente aos 10º, 11º e 12º anos na área da cozinha, restaurante/bar e informação turística, e em Óbidos formação de nível avançado (com a duração de dois anos) em pastelaria e cozinha.

A localização da Escola de Hotelaria do Oeste foi bastante disputada entre os municípios vizinhos de Óbidos e Caldas da Rainha, tendo ambos apresentado propostas para que a sede ficasse nos seus concelhos, num processo em que também participaram os municípios da Nazaré, Alcobaça e Bombarral. O processo havia sido concluído em Janeiro passado, com a assinatura de um despacho pelo anterior secretário de Estado do Turismo, Carlos Martins, favorável à instalação em Óbidos.

Numa reacção ao anúncio da nova decisão, Jorge Barroso, presidente da Câmara Municipal da Nazaré, disse ao REGIÃO que “ela em nada altera os projectos em que estamos a trabalhar com várias entidades, tendo por objectivo melhorar a formação turística”. O autarca chegou a propor como sede para a Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste as antigas instalações da Colónia Balnear, não quis levantar a ponta do véu sobre os projectos que tem em estudo, preferindo “aguardar pela sua formalização para os divulgar”.

Por seu lado, Gonçalves Sapinho, presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, afirmou ao REGIÃO “não concordar” com a nova decisão “até que sejam dadas ao município de Alcobaça explicações e justificações objectivas para as opções tomadas, como sempre exigimos e voltaremos a exigir”. Apesar deste desfecho Gonçalves Sapinho reafirma que para este mandato “haverá uma aposta reforçada na vertente do turismo, em particular na área da formação”. 

 

Escola disputadíssima a dois

 

A escolha de Óbidos, foi na altura duramente criticada pelo presidente da Câmara das Caldas da Rainha, Fernando Costa, que reivindicava a existência de um compromisso anterior com o seu município, que já tinha disponibilizado instalações para o efeito. Por seu lado, o presidente da Câmara de Óbidos, Telmo Faria, argumentou que “Óbidos é uma marca turística da região” e garantia que a escola iria funcionar num antigo edifício da Santa Casa da Misericórdia no interior do centro histórico da vila medieval e que “em três meses o edifício estaria preparado”. O despacho do anterior Governo será agora revogado tendo por base as alterações introduzidas no processo, não tendo sido divulgadas as razões que levaram às alterações que possibilitam a repartição da Escola de Hotelaria do Oeste, por Caldas da Rainha e Óbidos, municípios que já terão garantido a abertura dos cursos no próximo ano lectivo 2006/2007, com uma capacidade de frequência de 200 a 250 alunos.

“Para Óbidos conseguimos uma solução justa e equilibrada. O que nos preocupa é acrescentar mais valia e recursos humanos para a Região de Turismo do Oeste, numa perspectiva nacional e acreditamos que a região estava em défice”, explicou Jaime Umbelino, em declarações à RDP Antena 1, acrescentando que foi feita uma “reavaliação das ofertas dos dois municípios, da possibilidade de connosco cooperarem, no sentido de aproveitar a oferta das Caldas que nunca a retirou, e do município de Óbidos que manteve a sua”. Por se lado, António Carneiro, presidente da Região de Turismo do Oeste considerou a decisão um “prémio justo para uma região de turismo a crescer tanto e com tanta qualidade”. “Este governo teve coragem de corrigir uma medida que me parecia profundamente injusta por parte do governo social-democrata” foi como Fernando Costa, presidente da Câmara Municipal das Caldas reagiu ao anúncio. “Esta escola estava prevista vir para as Caldas da Rainha há dois anos”, sublinhou o edil caldense.

Author: Jornal

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close