AlcobaçaCulturaEconomiaEducaçãoNazaréSociedade

Portas da cultura abertas a professores

Mosteiro de Alcobaça disponível para acolher professores Mosteiro de Alcobaça e Museu Dr. Joaquim Manso apresentaram candidaturas Professores sem actividade lectiva por falta de horários poderão vir trabalhar em espaços culturais António Paulo O Museu Etnográfico Dr. Joaquim Manso, na Nazaré, e o Mosteiro de Santa Maria, em Alcobaça, são duas das instituições entre as …


Mosteiro de Alcobaça disponível para acolher professores

Mosteiro de Alcobaça e Museu Dr. Joaquim Manso apresentaram candidaturas

Professores sem actividade lectiva por falta de horários poderão vir trabalhar em espaços culturais

António Paulo

O Museu Etnográfico Dr. Joaquim Manso, na Nazaré, e o Mosteiro de Santa Maria, em Alcobaça, são duas das instituições entre as 46, que a nível nacional mostraram disponibilidade para acolher professores sem actividade lectiva com o objectivo de no período de um ano, dinamizarem serviços educativos e/ou projectos de dinamização e conquista de públicos jovens.

Em termos nacionais, o Ministério da Cultura prevê colocar 230 professores no âmbito de um programa de projectos educativos, apresentado no passado dia 3 em Lisboa, no decurso de uma conferência de imprensa conjunta das ministras Isabel Pires de Lima e Maria de Lurdes Rodrigues – responsável pela pasta da Educação -, para apresentação de dois despachos ministeriais que permitem a afectação de professores aos quadros do Ministério da Cultura. Isabel Pires de Lima adiantou que estes docentes, “sendo quadros superiores, não irão fazer tarefas como a guardaria – guarda de colecções de museus -, irão antes trabalhar em áreas como os serviços educativos ou em projectos de dinamização e conquista de públicos jovens”.

O Ministério da Cultura já divulgou a lista das 46 instituições interessadas em receber professores os quais deverão apresentar as suas candidaturas após a publicação dos editais, o que “acontecerá dentro de 15 dias”, explicou Maria de Lurdes Rodrigues. De acordo com o despacho conjunto das duas ministras podem candidatar-se a este programa todos os professores “que se encontram sem actividade lectiva por falta de horário ou em situações similares”.

Para além da possibilidade de afectação cujo despacho aguarda publicação para dentro de dias, um outro despacho conjunto (834/2005 publicado no DR de 4 Novembro) permite aos professores apresentarem projectos de trabalho em espaços tutelados pelo Ministério da Cultura, dependentes das autarquias, bem como espaços culturais privados, desde que “tenham comprovada experiência na área do desenvolvimento de serviços educativos”. Estes projectos deverão levar em conta uma “articulação” com a escola, prevendo “a deslocação dos alunos, pelo menos uma vez por ano”.

 

Para qualquer professor

 

As duas ministras frisaram na apresentação do programa que “qualquer professor” possui a capacidade de sensibilizar e despertar o interesse dos jovens para as áreas museológicas, recusando a ideia de que este projecto sirva principalmente os professores das áreas artísticas ou de história, com Isabel Pires de Lima acentuar “a actual grande interdisciplinaridade no ensino”. Maria de Lurdes Rodrigues salientou a contribuição que “podem dar os professores de química nas áreas de restauro”.

Os professores afectados podem “vir a ser integrados, num futuro próximo, nos quadros do Ministério da Cultura”, pode ler-se num dos despachos, tendo Isabel Pires de Lima sublinhado que “essa situação será avaliada na devida altura, podendo até ser renovado”, ainda antes de uma passagem a um estatuto definitivo.

Entre as 46 instituições directamente tuteladas pelo Ministério da Cultura que manifestaram o interesse em receber professores, para além do Museu Etnográfico Dr. Joaquim Manso e do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, encontram-se a Biblioteca Nacional, Teatro Nacional de São João, os museus da Terra de Miranda (Miranda do Douro), da Guarda, José Malhoa e o da Cerâmica (Caldas da Rainha), Abade de Baçal (Bragança), a área arqueológica de Miróbriga (Santiago do Cacém) e os Palácios Nacionais de Sintra e Queluz.

Os Mosteiros de Santa Clara-a-Velha (Coimbra), S. Martinho (Tibães), Pombeiro (Porto), o Paço Ducal de Guimarães, o Convento de Cristo (Tomar), a Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, em Lisboa, a Direcção Regional do Centro, do Ministério da Cultura ou os serviços centrais do Instituto Português de Arqueologia, são outras instituições interessadas em receber os docentes.

Os professores interessados em obter informações sobre este programa de projectos educativos conjunto dos Ministérios da Cultura e da Educação, poderão consultar os respectivos sites oficiais www.min-cultura.pt e www.min-edu.pt.

Author: Jornal

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close