EconomiaNazaréPolíticaRegionalSociedade

Devagar mas andando

Antunes Pereira junto às obras da avenida Marginal Obras de requalificação em São Martinho do Porto As obras na Marginal vão avançando, as do largo do antigo posto de Turismo vão marcar passo e as do centro histórico ficam para mais tarde Carlos Barroso Apesar das obras da avenida Marginal estarem a decorrer num “ritmo …


Antunes Pereira junto às obras da avenida Marginal

Obras de requalificação em São Martinho do Porto

As obras na Marginal vão avançando, as do largo do antigo posto de Turismo vão marcar passo e as do centro histórico ficam para mais tarde

Carlos Barroso

Apesar das obras da avenida Marginal estarem a decorrer num “ritmo aparentemente lento”, o presidente da Junta de Freguesia de São Martinho do Porto, Manuel Antunes Pereira, desdramatiza a situação, salientando que “as obras nunca estiveram paradas, embora pareça que estão. Estiveram a ser feitas ligações de esgotos e outras obras de saneamento que como ficam enterradas, e por isso não se vêem, dai que por isso, algumas pessoas pensem que as obras estão paradas, o que nunca aconteceu”, esclarece o autarca.

Apesar da justificação, Manuel Antunes Pereira não esconde que “têm sido encontrados muitos problemas nesta fase das obras”, adiantando que “havia muitas casas que não estavam ligadas aos colectores”. “Encontrámos mesmo grandes problemas, nomeadamente na rua Conde de Avelar e nas artérias paralelas à avenida Marginal, onde tiveram de ser colocados novos colectores, porque não existiam, ou porque os que lá estavam não tinham capacidade para a drenar a quantidade de esgotos produzidos”.

Concluída esta fase das obras de requalificação a intervenção aparentemente ganhou nova dinâmica, tendo já sido iniciada a colocação de lancis de passeio e alguma calçada junto ao Parque de Campismo, de tal modo que Manuel Antunes Pereira adianta que “as obras estão a decorrer de acordo com o calendário previsto e que no final de Junho a marginal está mais ou menos arranjada, com a excepção do largo Frederico Ulrich”. Para esta zona, o autarca esclarece que “as obras só deverão estar concluídas no final deste ano, ou no próximo, isto devido ao facto de o projecto inicial ter sofrido algumas alterações, nomeadamente com construção de casas de banho, e ainda pelo facto de não estar concretizada a compra de uma parcela de terreno propriedade da Capitania”.

Uma nova avenida

 

Porque no mês de Julho e Agosto a vila recebe cerca de 40 mil pessoas, Manuel Antunes Pereira quer “dispor de um estacionamento alternativo, já que com as obras de requalificação, o estacionamento do lado da praia é proibido, porque o passeio é alargado e será construída uma ciclovia”, sustentando que “a alternativa passará pela construção de uma nova avenida/circular implantada por detrás do Parque de Campismo”. Esta obra, apesar de “muito desejada”, não será este ano que entrará em funcionamento”, isto porque, como adianta o edil “apesar de existir um rasgo e uma parte do troço já estar feito, este encontra-se fechado, dado faltar fazer uma parte integrante de uma urbanização que ainda não está concluída”. Esta nova via só deverá estar concluída e em funcionamento na sua totalidade, após conclusão das obras de urbanização previstas para essa zona, restando a dúvida se as mesmas comportarão ao nível de estacionamento, o acréscimo das viaturas dos futuros moradores e dos visitantes.

Quanto às intervenções previstas para a zona histórica da vila “que ainda não começaram porque há sempre atrasos”, Manuel Antunes Pereira vaticina que “elas só deverão começar quando as obras na Marginal estiveram concluídas, apesar do projecto do novo posto de turismo e do elevador estar feito”.

Author: Jornal

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close