CulturaEducaçãoNazaréPolíticaSociedade

Feira com vistas para o mar

Feira semanal poderá vir a realizar-se junto ao molhe Norte Proposta de deslocalização da feira semanal da Nazaré já está em discussão Mercado semanal pode vir a mudar-se para a zona do Porto de Abrigo e deixar de realizar-se em Julho e Agosto António Paulo Dando seguimento a uma ideia já avançada em anteriores reuniões, …


Feira semanal poderá vir a realizar-se junto ao molhe Norte

Proposta de deslocalização da feira semanal da Nazaré já está em discussão

Mercado semanal pode vir a mudar-se para a zona do Porto de Abrigo e deixar de realizar-se em Julho e Agosto

António Paulo

Dando seguimento a uma ideia já avançada em anteriores reuniões, o presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Jorge Barroso, levou para apreciação do executivo em reunião extraordinária (à porta fechada) realizada na manhã da passada segunda-feira, uma proposta de alteração ao regulamento de venda ambulante. Entre outros pontos, a proposta aponta para a futura interdição da feira semanal nos meses de Julho e Agosto e para a deslocalização do mercado nos restantes meses do ano para o parque de estacionamento junto ao molhe Norte do Porto de Abrigo, abandonando assim o parque de estacionamento junto ao edifício dos Paços do Concelho. A possibilidade de a médio prazo, o mercado poder vir a realizar-se no Parque Atlântico encontra-se igualmente em aberto.

A proposta de Jorge Barroso mereceu reservas aos vereadores da oposição que solicitaram mais algum tempo para reflectir sobre o seu teor, o que acabou por acontecer. No entanto, à tarde, no decorrer da reunião ordinária, Jorge Barroso voltou a levar o assunto a discussão, desta feita, com o objectivo de obter uma deliberação favorável à promoção da discussão das grandes linhas orientadoras da proposta no seio da Assembleia Municipal, que tem uma reunião agendada para a próxima quarta-feira. Jorge Barroso pretende que os deputados municipais não sejam confrontados com uma decisão já tomada pelo executivo, optando por recolher a sua sensibilidade para esta questão, antes de ela voltar a debate no seio do executivo, para uma eventual aprovação.

Consumada a aprovação da proposta de alteração do Regulamento de Venda Ambulante pelo executivo camarário, esta terá de ser submetida a um período de trinta dias de consulta pública, findo o qual a proposta com eventuais reclamações ou sugestões, seguirá então para eventual ratificação pelos deputados municipais.

Jorge Barroso tem vindo argumentar em favor da interdição de realização do mercado em Julho e Agosto e da sua transferência para outro local, com a necessidade de disponibilizar o parque de estacionamento para os veraneantes e habitantes. Mas estas são medidas que não se apresentam de fácil entendimento por parte de feirantes e de clientes, que face às projectadas alterações, já começaram a dar sinais de alguma insatisfação, prometendo não ficar passivos.

Recorde-se que uma tentativa de mudança do local do mercado promovida há cerca de quatro anos pelo executivo de maioria absoluta do PSD, liderado por Jorge Barroso, já depois de autarquia ter investido cerca de 14 mil contos (70 mil euros) no alcatroamento parcial naquele espaço, desencadeou fortes protestos por parte dos feirantes, que conseguiram protelar a saída para o local onde viria a ser criado o Parque Atlântico, no Sítio. O espaço onde o mercado já vem a decorrer há mais de quinze anos, é pertença do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, e a sua cedência à autarquia, a título precário, foi protocolada durante a gestão do ex-presidente socialista Luís Monterroso.

Author: Jornal

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close