Regional

Óbidos é “cidade criativa da literatura” da Unesco

A distinção de Óbidos como “cidade criativa da literatura” da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura agrada aos turistas e aos responsáveis locais. É o resultado de um projeto que engloba a criação de mais de uma dezena de livrarias e a concentração de centenas de milhares de livros.

Abriram onze livrarias na vila de Óbidos e outras pelo território, em edifícios degradados ou inutilizados, transformando em livrarias, por exemplo, uma antiga igreja (Livraria de Santiago), uma antiga adega (Livraria da Adega), um mercado (Livraria do Mercado) ou uma escola primária desativada (Bichinho de Conto).
A vila de Óbidos entrou na passada sexta-feira no universo das “cidades criativas da literatura” da Unesco.
A candidatura assentou no projeto “Vila Literária”, que resultou na criação de uma dezena de livrarias em “lugares improváveis”, entre os quais uma antiga igreja, uma antiga adega, uma escola desativada e um mercado biológico.
A distinção vem mostrar que a literatura é capaz de atrair muito turismo. “Aquela história de que só os eventos das tasquinhas e comes e bebes é que trazem muita gente, Óbidos provou que não”, manifestou João Batista, responsável pelo Mercado Biológico de Óbidos, cuja livraria está várias vezes aberta até de noite e constitui uma atração.
Corvisier Christian, turista francês, declarou que a classificação de “cidade criativa” é “prestigiante e um reconhecimento da qualidade do património. Tem na realidade um efeito de atrair visitantes”.
Carla Santos, uma turista nacional, referiu que “com o que há aqui de literatura, acho que vai ser um chamariz para virem turistas, não só portugueses como de outras partes”.
A autarquia vê uma janela de oportunidades com esta classificação. A notoriedade da vila permitirá atrair mais investidores, em qualquer setor. Humberto Marques, presidente da Câmara Municipal de Óbidos, sustentou que “com uma chancela desta envergadura abrem-se outras oportunidades e há um reforço no nosso posicionamento no contexto internacional”.
“O objetivo de envolver as pessoas e o património neste processo de desenvolvimento de um território criativo, em que a literatura se torna uma alavanca de desenvolvimento económico e social, fizeram deste sonho algo ainda maior. O projeto Óbidos Vila Literária é uma estratégia de desenvolvimento sustentável e criativo do território e permite demonstrar que é possível considerar agendas alternativas de desenvolvimento cultural em cooperação direta com a economia e até a reabilitação urbana”, indicou o autarca.
O presidente da República, Cavaco Silva, disse que os portugueses se devem congratular pela classificação de Óbidos e de Idanha-a-Nova pela Unesco, no âmbito da Rede de Cidades Criativas.
A Turismo Centro de Portugal felicitou a Câmara Municipal de Óbidos pelo sucesso da candidatura apresentada à Unesco. Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, destacou a importância do projeto, na valorização e promoção turística do território regional e na internacionalização do destino, salientando as dinâmicas criadas nas comunidades locais, o envolvimento dos diversos atores regionais e o fluxo de negócio gerado.
Para além dos espaços municipais e em conjunto com empresas, a vila tem também um hotel literário e prepara-se para receber em 2016 o 2º Festival Literário Internacional, outro dos aspetos referidos na candidatura a ”Cidade da Literatura”, agora aprovada pela Unesco

Author: Dina Teresa

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close